Conheça 6 técnicas de memorização para ajudar nos seus estudos

Tempo de leitura: 7 minutos

Você anda passando perrengues para decorar um mundo de textos e fórmulas e mandar bem nas provas? Que tal experimentar algumas técnicas de memorização e surpreender aquele prof que está doido para dar nota baixa para sua versão Dory?

Tudo bem que a peixinha é bem simpática, mas se você passar o ano inteiro no mesmo esquecimento que o dela no filme, certamente, ao final, o único diploma que vai receber é o de membro honorário da salinha dos reprovados.

Estamos sempre aqui para dar aquele apoio moral e contribuir para você ter uma formação top das galáxias, por isso, trouxemos neste post 6 técnicas de memorização simples e eficientes que vão fazer da sua memória um verdadeiro HD ambulante!

O que são técnicas de memorização?

O cérebro humano é bastante intuitivo e permite que uma associação natural funcione de modo a conectar informações. O que a técnica de memorização faz é organizar essas informações, agrupar ao que já se viu ou ouviu sobre um assunto e manter retido para aplicar em momento oportuno.

Se você está com aquela ideia decoreba do ensino médio ou pensando que escrever em códigos na mão vai ajudar você a obter melhores resultados nas provas, esqueça. Não que o ensino médio seja menos importante, mas você será o profissional que a faculdade preparar.

Isso quer dizer que, se você deseja ser diferenciado no mercado e considerado competente, a hora de aprender muuuito sobre a profissão é agora — conhecendo a fundo os conteúdos de cada disciplina.

Tudo bem se você disser que é difícil e que deseja cair nos braços de Morfeu depois de passar longas horas estudando. Acontece que é aí que está o X da questão. Talvez o quantitativo esteja atrapalhando a sua memorização e seja hora de dar mais qualidade ao tempo dedicado aos estudos.

A quantidade de conteúdo que você precisa estudar é excessiva, não é mesmo? Mas existem técnicas de memorização e você não está sozinho nesse mundão universitário.

Quais são as melhores técnicas de memorização para auxiliar os estudos?

Antes de falar sobre as técnicas de memorização, vale dizer que, por mais que haja disposição, nenhuma delas funcionará se você não usar a concentração como aliada. Nos momentos de estudo combine cazamisgas um stop nas novidades sobre as tretas nas redes sociais.

Também o crush, que não sai dos seus pensamentos, vai ter que dar espaço para seus estudos, afinal, tudo bem que um romance cai bem na vida da gente, mas é preciso ter sucesso em todos os âmbitos da vida, né non?

Se liga nessas 6 técnicas maneiras que separamos para você!

1. Leia o conteúdo mais de uma vez

Nem sempre uma primeira leitura é capaz de passar a mensagem sobre um determinado assunto. É que a interpretação de texto é complicada mesmo e uma vírgula pode dar uma entonação completamente diferente.

Se você não compreender bem o que um conteúdo quer dizer, vai memorizar fragmentos, deixar de formular uma ideia e assumir um risco iminente de se dar mal na prova com respostas nada a ver. Foco = lacração total!

Leia quantas vezes for preciso até que seu cérebro entenda o que o conteúdo quer dizer e faça associações com fatos, por exemplo, para facilitar a fixação na memória. A leitura é companheira inseparável em tempos de provas.

2. Grave a leitura para escutar em outro momento

Que tal brincar de ser um locutor de audiolivros e criar sua própria biblioteca? Se muitos estudantes recorrem a esse tipo de material para estudos, é bem provável que você se dê super bem ao fazer uma gravação personalizada se valendo da própria voz.

Não vá gravar um livro inteiro, viu? A galera termina a faculdade e você estará ainda na primeira edição. Selecione as partes que tiverem total conexão com o que você está estudando e que componham o cronograma do professor para focar no que realmente é importante.

3. Faça uso de acrônimos

Já ouviu falar dos acrônimos? Essa técnica de memorização, além de eficiente, é bem divertida, pois permite você brincar com as siglas e termos associativos. A ideia do acrônimo é auxiliar sua memória com sílabas-chave que sejam gatilhos para um conteúdo completo.

Calmaê que já vamos dar um exemplo prático. Imaginemos que você esteja estudando Filosofia e os pensadores de maior destaque ao longo do tempo e seja difícil guardar os nomes de todos eles — até porque é cada um mais diferente que o outro.

Se durante as aulas você ouviu sobre Platão, René Descartes, Aristóteles, Maquiavel, Émile Durkheim, Max Weber e Friedrich Nietzsche, por exemplo, talvez um acrônimo soasse bem como “pramemf” ou “framemp”.

Mas lembre-se que estamos falando de técnicas de memorização e não de decoração. Nesse caso, você vai poder decorar apenas os nomes dos pensadores e usar o acrônimo como um amparo para a história e feitos de cada um deles.

4. Explique a matéria para si ou para outro colega

Vai dizer que nunca passou pela sua cabeça a vontade de ser professor? Quem nunca. Mesmo com todas as dificuldades é uma profissão linda e inspiradora. Se você nunca brincou de dar aula, que tal criar uma mini sala de aula no seu quarto e convidar azamigas para assistirem?

Se ao final “os alunos” tiverem entendido o que você disse e aprendido com suas explicações, há grandes chances de você ter memorizado bem o conteúdo e fazer uma boa prova.

5. Elabore resumos e esquemas

Ah, os resumos! Desde sempre os resumos são responsáveis por um entendimento prático e objetivo de um conteúdo vasto. Como não é nada fácil guardar tanta informação, eles servem para compilar o que é mais importante.

Esquematize e organize tudo para facilitar as suas buscas e o gerenciamento do tempo para cada disciplina. Umas exigirão mais do que as outras, e é exatamente por isso que os esquemas são essenciais.

Não adianta fazer resumos se eles não forem objetivos e práticos. O esquema ajuda a criar esse estudo direcionado e não deixar você esquecer alguns pontos importantes sobre algum assunto fundamental para a sua formação.

6. Resolva questões

Essa técnica vale para aquelas disciplinas com fórmulas cabulosas e que deixam até os apaixonados por continhas com vontade de saltar logo para o resultado. Se os cálculos não são o seu forte, relaxa, porque nem tudo está perdido.

Você terá boas chances de sucesso na prova se resolver as questões durante o tempo dedicado aos estudos. Mais uma vez, nada de fazer as contas pelo celular e não resistir em ver o que tá rolando no Instagram — arrume uma calculadora.

Preste bastante atenção nas explicações do professor na sala de aula, anote os detalhes de aplicação das fórmulas e refaça em casa quantas vezes forem necessárias até que seu cérebro memorize como funciona.

No início deste post falamos da rotina pesada da faculdade e do volume enorme de conteúdo a cada semestre. Você já deve estar pensando em tudo que tem para estudar enquanto lê essas dicas, não é mesmo?

Nossa super dica é que, para que todas as outras funcionem, você deve planejar uma rotina de estudos e seguir à risca. É claro que dar uma parada e curtir um rolê é importante para dar descanso a um cérebro bugado, mas não se esqueça jamais que na vida, primeiramente vem a obrigação e depois a diversão.

Gostou deste post com as 6 técnicas de memorização? Percebeu o quanto ter uma boa memória fará uma grande diferença na sua vida profissional? Aproveite a voltinha pelo nosso blog e saiba como conseguir o estágio dos sonhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *