Entenda como funcionam as taxas de franquias

Tempo de leitura: 6 minutos

Você sabe como funcionam as taxas de franquias? Abrir um novo negócio requer espírito empreendedor, disposição, investimento e algum risco financeiro, pois, mesmo que as chances de sucesso sejam grandes, existe a possibilidade de perdas.

Mesmo as franquias que já estão consolidadas também sofrem com as oscilações de mercado e têm despesas com tudo que mantém o negócio ativo, desde os custos operacionais até os variáveis, que impactam a saúde financeira e contam com o aporte dos franqueados para garantir a competitividade.

Neste post, vamos falar sobre as taxas de franquia, o que são e como funcionam, para que você conheça os aspectos financeiros no negócio e ainda assim perceba o quão rentável pode ser uma franquia!

O que é a taxa de franquia?

Quem tem uma franquia — concessão do direito de representação física ou jurídica de um negócio — pode cobrar valores de taxas referentes às despesas iniciais e por permitir que o franqueado se beneficie da marca e faça parte da rede franqueada.

Com pagamento logo após a assinatura do contrato, a taxa de franquia abrange os custos referentes aos diversificados serviços disponibilizados para o franqueado — preparação, consultoria, orientação, acompanhamento inaugural, material de divulgação, entre outros.

Qual é o objetivo de cobrança da taxa de franquia?

Muitas empresas, quando detêm uma marca de sucesso, ao decidir abrir a oportunidade para que outros empreendedores tenham o mesmo êxito, encontram na franquia um bom tipo de segmento.

Normalmente, a decisão de partir para a franquia, vem depois de um longo percurso, de muito trabalho e grandes desafios com investimento de tempo, dinheiro e boas doses de otimismo, colhendo frutos de um plantio fértil que merece ser compartilhado.

Com a franquia, é você quem dará continuidade a essa colheita, e nada mais justo que, para ter direito aos bons frutos, restitua em forma de taxa parte dos gastos com todos os serviços e estratégias que tornaram a marca uma referência forte no mercado.

Um bom franqueador se preocupa em dar todo o apoio que o novo franqueado precisar para dar início às atividades, logo, investe em divulgação e ajuda a impulsionar, pois, se você tem sucesso, a marca tem mais ainda.

Aliás, esse é um aspecto que você deve observar e analisar profundamente. As taxas de franquia devem ser condizentes com o tamanho do negócio e contar com o amparo do franqueador antes, durante e depois da assinatura do contrato.

Quais são as principais taxas?

As taxas de franquia são subdividas e distribuídas de acordo com algumas regras específicas do mercado. É assim que o franqueador se beneficia de compartilhar uma marca lucrativa que gera lucro também aos franqueados. Conheça as principais!

Taxa de royalties

Ao abrir uma franquia, você precisa adquirir o direito de uso da marca. A cobrança é mensal e calculada com base no faturamento bruto, o que varia, normalmente, de 4% a 10%. Enquanto o contrato estiver em vigor, a taxa de royalties será legalmente cobrada.

Com o valor arrecadado de cada franquia, a franqueadora poderá investir em melhorias que vão refletir de volta nas unidades ativas. Dependendo do tipo de negócio, é fundamental preparar a equipe continuamente e atualizar versões de softwares ou manuais.

Taxa de propaganda e promoção

Um marketing ativo é capaz de promover uma marca em grande escala. Ações em mídias, redes sociais, jornais e revistas não custam barato, mas o potencial elevado de conversão incentiva a rede de franquias a investir em propaganda e divulgação.

Para as ações de marketing, o percentual da taxa é menor, ficando, usualmente, entre 2% e 5% do faturamento bruto de cada franquia. Ela deve ser voltada exclusivamente para a propaganda dos serviços e divulgação dos produtos.

Alguns períodos do ano, os chamados sazonais, são mais aquecidos que outros e aproveitar o momento para divulgar a franquia envolvem despesas com peças publicitárias e diversas ações de promoção.

Taxas de compras

Muitas franquias são responsáveis por fornecer os insumos para a preparação dos produtos disponíveis na vitrine. As franquias de alimentos, por exemplo, que têm uma receita padrão e são isentas de realizar determinadas compras, poderão ter a taxa cobrada.

A responsabilidade de comprar e entregar a cada franqueado a quantidade corresponde de insumos será do franqueador, justificando a necessidade de despesas e também a recuperação de uma fração atribuída a cada uma das lojas franqueadas.

Taxas de serviço

Antes de abrir a loja franqueada, executando o mobiliário com layout comum e obrigatório a todas as franquias, pode ser que você precise de pequenos ajustes extras e não previstos.

A taxa de serviço vai para um fundo de reserva que possa cobrir as despesas em função dos reparos realizados conforme demanda ou solicitação dos franqueados. Você deve observar o engajamento e a disposição do franqueador em solucionar problemas ocorridos na sua loja e propor soluções praticas.

Como são calculadas as taxas?

Os fatores levados em consideração para cálculo das taxas de franquia dependem do tipo de negócio, do faturamento, da quantidade de lojas abertas e, fundamentalmente, das práticas da concorrência.

Com o boom das franquias, muitas surgiram e são, inclusive, similares. Sendo assim, o franqueador deve estar atento para não cobrar taxas inadequadas. Se elas forem muito altas, a rede franqueada poderá sofrer com a rejeição dos empreendedores.

Caso contrário, as taxas muito baixas sugerem riscos financeiros e podem gerar desconfiança sobre eficiência, suporte, expertise e capacidade de gerar lucro. O ideal é fazer contas e avaliar o impacto desses valores para o novo negócio.

Será preciso preparar a nova equipe franqueada? Se a resposta é sim, o valor da taxa de franquia vai contemplar as despesas com material didático, consultoria, deslocamentos, alimentação e, acima de tudo, o custo da hora parada de um funcionário que poderia estar produzindo.

Como consumidor, certamente você tem preferência por alguns produtos apenas pelo fato de levarem no rótulo uma determinada marca. É assim que acontece no universo das franquias — o valor agregado da marca tem valor monetário somado às taxas.

Não se assuste com a quantidade de taxas que uma franquia acumula. Um bom empreendedor adora desafios e corre riscos sem recuo, mesmo com todas as adversidades. Com a empresa certa, um bom controle e muito trabalho, o investimento vale a pena e você verá essas taxas como mais um item das contas a pagar

Se você gostou deste post, não pode perder todas as novidades sobre as franquias e as tendências do tipo de negócio no Brasil. Por isso, acompanhe a gente nas redes sociais — estamos no Facebook, no Instagram e no YouTube!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *